Rastafarianismo-Emitai2016A
rasta.png

O rastafarianismo, também conhecido como movimento rastafári é um movimento religioso que proclama Hailê Selassiê I, imperador da Etiópia, como a representação terrena de Jah (Deus).O movimento surgiu na Jamaica entre a classe trabalhadora e camponeses negros em meados dos anos 20, iniciado por uma interpretação da profecia bíblica em parte baseada pelo status de Selassiê como o único monarca africano de um país totalmente independente e seus títulos de Rei dos Reis, Senhor dos Senhores e Leão Conquistador da Tribo de Judah, que foram dados pela Igreja Ortodoxa Etíope.

o livro sagrado

A blíblia do rastafarianismo é a Holy Piby,é composto por quatro livros :O primeiro, intitulado "O Primeiro Livro de Athlyi Chamado Athlyi", tem apenas dois capítulos. O próximo, "O Segundo Livro de Athlyi Chamado Aggregation", é a maior, com quinze capítulos, o sétimo dos quais identifica Marcus Garvey como um dos três apóstolos de Deus. O "Terceiro Livro de Athlyi Nomeado Os fatos dos Apóstolos" apresenta dois membros proeminentes da UNIA-ACL , Robert Lincoln Poston e Henrietta Vinton Davis ,como os outros apóstolos na Santíssima Trindade . O título do último livro é "O Quarto Livro de Athlyi Chamado Precaução".

Simbolos sagrados

Os símbolos sagrados são Leão de Judá, Dreadlocks, Reggae, Cannabis.

Números de adeptos no mundo

O movimento rastafári se espalhou muito pelo mundo, principalmente por causa da imigração e do interesse gerado pelo ritmo do reggae; mais notavelmente pelo cantor e compositor de reggae jamaicano Bob Marley. No ano 2.000 havia aproximadamente um milhão de seguidores do rastafarianismo pelo mundo,algo difícil de ser comprovado devido à sua escolha de viver longe da civilização. Por volta de 10% dos jamaicanos se identificam com os rastafáris. Muitos rastafáris são vegetarianos, ou comem apenas alguns tipos de carne, vivendo pelas leis alimentares do Levítico e do Deuteronômio no Velho Testamento.

Outras características do rastafarianismo

são os hábitos alimentares, basicamente fundamentados no consumo de vegetais, leguminosas, frutas, etc., bem como o uso da marijuana (maconha) como elemento integrante do ritual rastafári. A fundamentação para esses hábitos, segundo os seguidores do rastafarianismo, está toda na Bíblia, em livros do Antigo Testamento.

Os rastafáris têm nove princípios fundamentais

concentrados na sua própria figura, nos problemas da sociedade, nas leis, na alimentação e no uso de erva medicinal para purificação em rituais próprios. No seu aspecto físico o que mais se destaca é o cabelo e a barba, pois os “rastas” não cortam o seu cabelo, nem cortam a sua barba. Respeitam a citação: "não cortareis o cabelo, arredondando os cantos da vossa cabeça, nem danificareis as extremidades da vossa barba", como símbolo de união com Jah (Deus, que adquire forma humana em semelhança a um homem, rei e negro, que dizem ser Haile Selassie I). Este termo resulta de uma forma abreviada de Jeová. Portanto, não cuidam do cabelo nem da barba e não fazem modificações na pele. São contra a inveja, o ciúme, o ódio, a traição…

Os rastas dizem que os cientistas tentam descobrir como o mundo é por uma visão de fora, enquanto eles encaram a vida, de dentro olhando para fora; e todo o rasta tem de encontrar sua própria verdade.

Alguns rastafáris escolhem classificar sua religião como cristianismo ortodoxo etíope, cristianismo protestante, ou judaísmo. Entre estas, os laços para a Igreja etíope são os mais difundidos, embora isto seja uma controvérsia para muitos clérigos etíopes. Os rastafáris acreditam que as traduções comuns da Bíblia incorporam mudanças criadas pela estrutura da força branca racista. Alguns adoram a Kebra Negast, mas muitos destes rastas classificariam-se como etíopes ortodoxos na religião e rastafáris na ideologia. Alguns rastas prestam pouca atenção ao Kebra Negast, e muitos o consideram como estando pouco próximo da santidade da Bíblia.

Os rastafarianistas levantam a voz contra a opressão, pobreza e desigualdade, não apenas a ideias religiosas, mas também a problemas globais.

Referancias

https://pt.wikipedia.org/wiki/Movimento_rastaf%C3%A1ri

http://ebduvm.blogs.sapo.pt/2675.html

https://en.wikipedia.org/wiki/Holy_Piby

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License