John Locke
LockeEssay1690.jpg

Biografia
John Locke (1632-1704) filósofo inglês nasceu em Wrington , Somerset, estudou em Oxford, onde parecia destinado a seguir carreira em medicina. Locke viveu na França onde estudou a obra de Descartes, Gassendi e Shaftserbury, empenhado até então na oposição parlamentar aos Stuart. Em 1681 fugiu para a Holanda, voltou a Inglaterra após a ascensão ao trono de Guilherme Orange, em 1688. Em 1689 foram publicadas suas principais obas filosóficas, o Essay Concerning Human Understanding e Two Treatises of Government.
Embora Locke tenha fama de como figura principal do empirismo britânico, sua filosofia é bem mais complexa do parece.
Importância:
Locke tem influência em três grandes áreas. Na política, na filosofia e na educação. Na política ele é conhecido como o pai do liberalismo, é o autor de dois tratados de governo que sustentaram a implantação da monarquia parlamentista na Inglaterra, inspirando a Constituição dos Estados Unidos e atencipando as idéias dos iluministas franceses. Na filosofia, construiu uma teoria do conhecimento inovadora, que investigou o modo como a mente capta e traduz o mundo exterior. Na educação, compilou uma série de preceitos sobre aprendizado e desenvolvimento, com base em sua experiência de médico e preceptor, que teve grande repercussão nas classes emergentes de seu tempo, porém, a grande importância de Locke é quanto a defesa da liberdade individual. Portanto o Estado deve, acima de tudo, garantir a defesa da propriedade privada e direito natural do homem. Para ele a filosofia deve proporcionar uma norma racional para a vida dos homens, ou seja, ela tem fins práticos.
Principais Obras:
- Cartas sobre a tolerância (1689)
- Dois Tratados sobre o governo (1689)
- Ensaio a cerca do entendimento humano (1690)
- Pensamento sobre a educação (1693)

Seu Trabalho:

Empirismo:

John Locke acreditava que a busca do conhecimento deve ocorrer através de experiências, desta forma afirmando que experiências cientificas devem ocorrer baseada na observação do mundo. O empirismo filosófico descarta explicações baseadas na fé.John Locke afirmava que a mente de uma pessoa ao nascer é como uma folha em branco, ou como ele chamava “ tábula rasa”, as experiências que as pessoas passam pela vida é que vão formar seus conhecimentos e sua personalidade.
Locke defendia também a idéia de que todos os seres humanos nascem iguais, independentes e bons, assim, afirmando de que é a sociedade a responsável pela formação do indivíduo. Defendia o poder da burguesia e a escravidão a partir da teoria empirista, na qual a experiência é vista como necessária para a vida, para a formação do indivíduo, já que é a partir dela que se atinge o conhecimento, deste modo, todos od indivíduos nascem com as mesmas possibilidades de aquisição de bens e de conquista de liberdade.
Iluminismo:

O Iluminismo foi um movimento global filosófico, político, social, econômico e cultural, que defendia o uso da razão como melhor caminho para a liberdade, autonomia e a emancipação. Os iluministas defendiam a liberdade religiosa e a criação de escolas para o povo, foi também um movimento de reação ao absolutismo europeu, que tinha como características as estruturas feudais, a influência da Igreja Católica, o monopólio comercial e a censura das “idéias perigosas”
O nome “iluminismo” fez uma alusão ao período vivido até então, desde a Idade Média, período este de trevas, no qual o poder e o controle da Igreja regravam a cultura e a sociedade.
“Locke enfrentou habilidosamente a tarefa de pensar o poder a partir de bases laicas numa época marcada pelas lutas religiosas, não só na Inglaterra e na França como também na Alemanha, onde se deu a devastadora Guerra dos Trinta Anos, entre 1618 e 1648.”
“Por seu turno, reinterpretando essa doutrina do contato natural, Locke consegue conciliar a função laica do Estado num contrato social com a exigência de respeito á esfera privada, chegando até a pensar a participação política, a cidadania.”

Liberalismo:

O liberalismo surgiu da concepção de um grupo de pensadores que viviam na realidade da Europa, nos séculos XVII e XVIII, onde ainda vigorava a inda a filosofia do absolutismo em praticamente todos os governos europeus, pois o rei como suposto representante de Deus na Terra, tinha natural primazia sobre todos os assuntos que envolvessem a nação.
Locke é considerado o pai do liberalismo político e criou as bases filosóficas para o liberalismo e econômico fundado por Adam Smith. Segundo John Locke o governo não deve interferir na esfera privada da sociedade e na esfera do mercado. Locke também acreditava que os homens são bons, livres, independentes, iguais, pacíficos e seguros. Vivem em estado de paz harmonia e cada homem é juiz em causa própria.

Sobre a Imagem

Autor: John Locke.
Idioma: Inglês
País: Reino Unido.
Gênero: Filosofia.
Lançamento: 1690.

An Essay Concerning Human Understanding (Ensaio acerca do Entendimento Humano ):
No livro An Essay Concerning Human Undestanding Locke afirma que todos os seres humanos nascem como seres puros, sem saber absolutamente nada, como se fosse uma folha em Branco” ou como ele chamava “tábula rasa”. Nossa personalidade e conhecimentos se formam, após algumas experiências, afirmando que a sociedade é a responsável por isto.
Fonte da Imagem:
Filosofia Seed. Disponível em: http://www.filosofia.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=433&evento=6

Referências

CHAUI: 1997, p.400
FILOSOFANDO, p 218
Sua Pesquisa. Disponível em http://www.suapesquisa.com/biografias/john_locke.htm-
Revista Escola. Disponível em <http://revistaescola.abril.com.br/formacao/explorador-entendimento-humano-
423338.shtml>
Störig, Joachim Hans. História Geral da Filosofia. Editora Vozes, Rio de Janeiro: 2008
GRESPAN, Jorge. Iluminismo e Revolução Francesa, Editora Contexto, 2003.

Autoria do Verbete

Renata Facchin.
Tainara Cristina Alves Hack.
Estudantes da turma EMITST 2014.

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License