Islamismo EMITAI2016B
as.jpg

Origem

O Islamismo teve origem no século XII com o profeta Maomé. A tradição diz que Maomé foi visitado pelo Anjo Gabriel, que lhe contou da existência de um só Deus, Alá. A partir dessa visita, Maomé ditou o Alcorão, livro sagrado do Islamismo, e começou a difundir a religião. Inicialmente tentou espalhar a palavra em Meca, na atual Arábia Saudita, mas foi perseguido e até mesmo ameaçado de morte, pois o Islamismo é uma religião monoteísta e Meca era um ponto de culto de religiões politeístas, assim, Maomé ameaçava as crenças locais. Por isso foi obrigado a se retirar dali e dirigiu-se para Iatrebe, um povoado próximo onde conseguiu apoio e proteção, além de conseguir disseminar o Islamismo. Com o tempo foi formando um poderoso exército e passou a controlar várias tribos, expandindo sua religião. Iatrebe passou a chamar-se Medina, que significa “Cidade do Profeta”, e também tornou-se sede do Islão, estado teocrático fundado por Maomé.

Características

Maomé instituiu a primeira Mesquita, o dízimo, e escreveu os princípios da religião num livro conhecido por Corão, constituídos por seis regras base:

Shahada – a constante confissão de fé;
Salat – o culto através das preces, cinco vezes ao dia;
Zakat – os atos de caridade através da esmola e do dízimo;
Hadj – a peregrinação dos homens a Meca ao me­nos uma vez na vida;
Saum – o jejum no Ramadã (mês sagrado do ca­lendário muçulmano);
Jihad – a guerra santa.

Explicação sobre a origem do mundo e do ser humano

A religião islâmica defende que todas as pessoas têm um pai, uma mãe e um deus criador, estes seriam Adão, Eva e Alá respectivamente. Alá desejou que a humanidade existisse, preparando o meio onde vivemos para que a vida fosse possível. Existiu um ser original e um ser secundário, que partiu do original, para ser seu parceiro. Em suma, parte do homem originou a mulher, assim, Alá criou estes indivíduos e possibilitou que vivessem.

Livro sagrado

Você provavelmente deve ter ouvido, alguma vez em sua vida do Alcorão. Pois bem, este é o livro sagrado do Islamismo, e as crenças sobre ele nos dizem que todos ensinamentos e palavras presentes nele, são de origem direta de Alá, o deus único. A religião Islâmica prega que foi Maomé aquele que ditou o Alcorão aos seus discípulos, repetindo cada palavra exatamente como lhe chegava e ordenando que quem o ouvisse escrevesse estas palavras, fizesse cópias e espalhasse as mesmas.

Os adeptos do Islamismo só chamam de Alcorão a versão original, aquela que não foi traduzida e diferente das religiões cristãs, quando se lê o Alcorão na língua árabe as palavras obtém um efeito sonoro em conjunto, semelhante a uma música ou poesia. Ele está dividido em 144 capítulos, mais conhecidos como suras e não têm uma narração igual à da bíblia, em que os acontecimentos ocorrem um após o outro, pois os suras estão organizados em temas.

Símbolos sagrados

Não existe nenhum símbolo oficial, mas muitas pessoas tentam dar ao Islamismo algo que o represente. O mais popular é a Estrela e o Crescente. Mas existem outros como o Shahadatain que é a declaração da fé muçulmana, presente na bandeira da Arabia Saudita e algumas cores como o vermelho, preto, verde e branco.

Estrela-e-Crescente.png

Divindades

A divindade do Islamismo é Alá, um deus semelhante ao do cristianismo segundo os próprios adeptos islâmicos. Através das ações de Maomé o próprio Alá apresentou ao mundo seus propósitos e ideais. Existem diferentes conceitos para diversas tradições sobre Alá, um exemplo seria a diferença entre o conceito na Arábia pré-islâmica onde não era uma divindade única tendo companheiras, filhos e filhas, já na ótica islâmica, ele é único. Segundo o alcorão Alá é uma divindade imperativa, injusta e cruel. É o autor de todo bem e de todo o mal.

Profetas e personagens importantes

Maomé nasceu em meca em 1570 e foi o profeta responsável pela criação do Islamismo. Outros profetas importantes foram Adão, Enoque, Noé, Éber, Selá, Abraão, Ló, Ismael, Isaque, Jacó, José, Jó, Jetro, Moisés, Arão, Ezequiel, Davi, Salomão, Elias, Eliseu, Jonas, Zacarias, João Batista, Jesus.

Principais rituais

Nascimento- Quando a criança nasce , o pai é responsável por falar ao ouvido direito do bebê algumas palavras do adhan (início de uma oração), e coloca um pouco de mel na língua da criança e por fim, como símbolo de pureza, a cabeça do bebê é raspada;

Circuncisão- É um ritual feito com crianças de 8 a 10 anos que tenta simbolizar a união entre Alá e os seres humanos;

Casamento- É feita por um imã, onde normalmente é arranjado pela família dos noivos, donde o noivo deve pagar um dote pela noiva, lembrando que é permitido apenas quatro esposas para cada homem;

Morte- São realizadas preces fúnebres em uma mesquita em torno do corpo envolvido no ihram (espécie de veste de peregrinação), depois o corpo é enterrado num túmulo simples que depois deve ser coberto com um pouco de terra;

Ashura - Dez dias depois da virada de ano islâmica acontece o dia do Ashura, nessa data eles comemoram a libertação dos escravos no egito e o sacrifício do neto de Maomé Husayn ibn Ali, que morreu em batalha, nesse dia o povo sai as ruas e sacrifica seu próprio corpo, xiitas saem as ruas, munidos de chicotes com pontas de aço ou espadas, e batem em seu próprio corpo até sangrar, as crianças também participam. muitos se batem até as forças abandonarem o corpo, são cenas fortes e sangrentas.

Visão sobre a morte

A religião Islâmica acredita que quando uma pessoa morre, esta está em uma etapa de transição para a próxima fase de sua existência, uma outra vida. Essa outra vida será determinada pelas atitudes que a pessoa tomou ao longo de sua vida anterior, assim, podemos subentender que se agirmos da forma errada, mesmo que não soframos nesta vida, sofreremos na outra, mas, se agirmos corretamente, ou dentro dos princípios Islâmicos, este sofrimento não ocorrerá. Porém, o Islamismo acredita que algum dia o Juízo Final chegará, e com ele, Alá julgará todas as suas criações e decidirá assim a morada final de cada indivíduo, o inferno ou o paraíso.

O paraíso é encarado como um jardim eterno, onde não se conhece o sofrimento, e todos os prazeres imagináveis estariam ali, ao seu alcance, juntamente com sua felicidade.

No inferno há somente dor e sofrimento, seja como castigo, comida, e tudo o que há de ruim. Quem for descrente ali ficará eternamente, mas quem acreditar porém for pecador, em algum momento poderá ser transferido ao paraíso, não sendo um julgamento que dure eternamente.

Diferentes Vertentes

Após a morte de Maomé, o Islamismo sofreu ramificações. Dentre elas as principais são a xiita e a sunita.

Sunitas (maioria dos fiéis atuais) - seguem a risca as o alcorão e os ensinamentos religiosos da suna (livro que reúne as tradições de Maomé e seus companheiros.

Xiitas - segundo eles a chefia do Estado muçulmano só pode ser ocupada por um descendente de Maomé e aceitam somente os ensinamentos do alcorão.

Número de adeptos no Brasil e no mundo

No Brasil estimasse que há aproximadamente 1,5 milhões de muçulmanos. A maioria vive no Paraná, em São Paulo e no Mato Grosso. Já no mundo calculasse que existam 1,2 bilhões de fiéis ao Islamismo, sendo a segunda maior religião do planeta.

Sobre a imagem

A imagem representa os fiéis em cima do Monte Arafat (Monte da Misericórdia) em Meca

Fonte da imagem: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/11/arabia-saudita-mais-de-dois-milhoes-de-peregrinos-muculmanos-no-monte-arafat.html

A imagem representa a estrela e o crescente, símbolos regularmente mais associados ao Islamismo, embora não represente a fé dos adeptos da religião. Não se sabe a origem do símbolo, mas sabe-se que era o símbolo presente na bandeira do Império Otomano.

Referências

http://www.islamreligion.com/pt/articles/14/origem-comum-da-humanidade/

http://www.infoescola.com/islamismo/alcorao/

http://iqaraislam.com/conheca-o-islam/simbolos-do-islamismo/

https://sites.google.com/site/religiaogabriela/home/islamismo/

http://www.colegioweb.com.br/arabes-e-o-islao/maome-e-o-islamismo.html

http://minilua.com/ashura-sangrento-ritual/

http://www.nossotemplo.com.br/islamismo_rituais.htm

http://www.islamreligion.com/pt/articles/38/crenc-na-vida-apos-morte/

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2003/030407_religiaoislamismo.shtml

http://www.infoescola.com/religiao/islamismo/

http://brasilescola.uol.com.br/religiao/islamismo.htm

Autoria do Verbete

Leonardo Thomás Raccone
Vinícius Heinz Knaesel
Guilherme Pauli
Bruno Ernesto Hoppen Bebber

EMITAI 2016B

Salvo indicação em contrário, o conteúdo desta página é licenciado sob Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License